Mitos e verdades sobre o câncer

Compartilhe

A palavra ‘câncer’ ainda assusta. A má interpretação de fatos relacionados ao câncer, generalização de um caso isolado da doença, ou a falta de conhecimento acabam fazendo com que crenças passem a representar verdades.

Por isso, a disseminação de informações técnicas e consistentes são o primeiro passo para uma nova concepção a respeito do câncer, o que pretende impactar na forma como pacientes recém-diagnosticados encaram a doença e como ingressarão no tratamento: muito mais confiantes e com maiores chances de vitória!

Veja a lista de mitos e verdades que fizemos para trazer luzes ao tema:

Todo tumor é câncer

MITO – Tumor é um aumento desequilibrado do volume de qualquer área do corpo. Quando se dá por multiplicação de células, é chamado neoplasia, que pode ser benigna ou maligna. Um tumor não cancerígeno cresce de forma organizada, lentamente, tem limites bem nítidos, não invade os tecidos vizinhos ou desenvolve metástases. O lipoma e o mioma são exemplos de tumores benignos. O contrário dessas características, pode definir um tumor maligno, ou seja, um câncer.

O câncer tem cura

VERDADE – Desde o início do século, a sociedade tende a acreditar que um tratamento contra o câncer raras vezes leva à cura. No entanto, muitos tipos de câncer são curáveis, desde que tratados em estágios iniciais e acompanhados corretamente, o que demonstra a importância do diagnóstico precoce. Mais da metade dos casos de câncer já tem cura.

O câncer é hereditário

MITO – O câncer não é hereditário, com exceção de casos raros, como o retinoblastoma, um tipo de câncer ocular que atinge crianças. De forma geral, existem algumas condições genéticas que favorecem a ação dos agentes cancerígenos ambientais, o que explica por que algumas pessoas desenvolvem a doença e outras não.

O câncer pode ser prevenido

VERDADE – Os cânceres causados pelo tabagismo, consumo de álcool e má dieta alimentar podem ser prevenidos. Além disso, muitos cânceres de pele podem ser evitados com o uso de protetor solar. Exames específicos podem detectar o câncer de mama, de cólon, no reto, colo de útero, próstata, testículo, língua, boca e pele em estádios iniciais, quando o tratamento é mais bem-sucedido.

O câncer é contagioso

MITO – Câncer não é contagioso, mesmo quando causado por um vírus. É verdade que alguns vírus são capazes de produzir o câncer e podem ser transmitidos a partir de contato sexual, transfusões de sangue ou seringas contaminadas. Alguns exemplos de vírus carcinogênicos são conhecidos por provocar a hepatite B (câncer de fígado) e o vírus HTLV (leucemia e linfoma de célula T do adulto).

O autoexame das mamas substitui a mamografia

MITO – O autoexame mensal aliado à visita anual ao ginecologista permite a realização de uma mamografia anual para o diagnóstico de tumores. No entanto, nem o autoexame, nem o exame médico, nem a mamografia são eficientes isoladamente. É preciso cumprir todos os protocolos de proteção de forma integrada.

Desodorante antitranspirante pode causar câncer de mama

MITO – De forma alguma. Não existem pesquisas ou estudos que demonstrem haver qualquer ligação entre as duas coisas. O que pode acontecer é o entupimento de algumas glândulas sudoríparas, mas isso não afeta a mama e não causa câncer.

Qualquer pessoa corre o risco de desenvolver câncer

VERDADE – Como a ocorrência do câncer aumenta com a idade, no entanto, a maioria dos casos acontece entre adultos de meia idade ou idosos. O risco relativo mede a relação entre os fatores de risco e o câncer, comparando o risco da doença se desenvolver em pessoas com determinada exposição ou característica. Os fumantes, por exemplo, têm um risco relativo dez vezes maior de desenvolver câncer de pulmão se comparados com os não fumantes. A maioria dos riscos relativos não apresenta essa dimensão. As mulheres com um histórico familiar em primeiro grau (mãe, irmã ou filha) de câncer de mama, por sua vez, tem cerca de duas vezes mais risco de ter a doença.

O uso do filtro solar protege contra todos os raios ultravioleta

MITO – Nem todos os filtros solares oferecem proteção completa para os raios UVB e UVA. É preciso usar acessórios específicos para a proteção da pele e evitar os horários de maior radiação, entre as 10h e as 16h. A atenção também precisa ser redobrada para as radiações como as infravermelhas, que nunca são bloqueadas pelos filtros solares.

Pessoas da raça negra não correm risco de ter câncer de pele

MITO – Apesar das pessoas com uma produção de melanina mais alta terem maior proteção contra a radiação ultravioleta, elas também podem sofrer de câncer de pele, principalmente na palma das mãos ou na planta dos pés. Por isso, todos devem proteger-se do sol, principalmente nesta época do ano!

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade