Mitos e verdades sobre a leucemia

Compartilhe

A Leucemia é um tipo câncer que tem origem na medula óssea, onde são produzidas as células do sangue. Os glóbulos brancos, ou leucócitos, são as células atingidas. Com isso, se inicia a proliferação e a produção de glóbulos brancos de forma desenfreada. É a partir desse aumento que a pessoa começa a sentir os sintomas.

No início, a doença pode se manifestar por meio de ínguas no pescoço, axila ou virilha; fadiga; manchas roxas ou pontinhos vermelhos na pele; febre alta. E há dois tipos principais, dependendo do tipo de célula-tronco em que têm origem. São elas: leucemia linfoide e leucemia mieloide. A leucemia também pode ser dividida em dois subtipos: aguda ou crônica.

De forma geral, na leucemia linfoide, as células-tronco linfoides, que produzem diferentes tipos de glóbulos brancos para combater infecções, se proliferam demais e não conseguem lutar contra infecções. Na leucemia mieloide, um glóbulo branco imaturo, chamado mieloblasto, torna-se canceroso e passa a se multiplicar rapidamente, tomando o lugar das células saudáveis.

 Agora que você já sabe as principais informações sobre este tipo de câncer, verifique as crenças comuns sobre a doença e amplie seu conhecimento:

A anemia pode se transformar em leucemia.
MITO – A anemia não causa leucemia, mas pode, sim, ser um sintoma da doença.Ainda, existe uma exceção, que ocorre somente se o paciente tiver uma síndrome mielodisplásica, doença da medula óssea que se inicia como anemia e posteriormente pode se desenvolver em uma leucemia. O ideal é sempre manter seus exames em dia e seguir as recomendações médicas.

O tabagismo aumenta a predisposição para este tipo de câncer.

VERDADE – As substâncias tóxicas encontradas no cigarro podem aumentar a incidência de cânceres hematológicos, como a leucemia. Elementos como metais pesados e o benzeno são os principais influenciadores. O tabagismo durante a gravidez pode influenciar no desenvolvimento dessa doença para os filhos.

A alimentação interfere no risco de leucemia.

MITO – Apesar de os hábitos alimentares saudáveis serem importantes para a prevenção de tumores sólidos, como no intestino, na mama e no abdômen, não há estudos que apresentem a ligação da dieta ao risco de desenvolver leucemia. De qualquer modo, a alimentação balanceada colabora para a saúde como um todo e permanece como questão importante no cotidiano.

A exposição a produtos químicos aumenta as chances de leucemia.

VERDADE – A exposição a produtos como agrotóxicos, pesticidas e herbicidas pode ser um fator de risco para o desenvolvimento da doença. Quem trabalha com a manipulação desses produtos deve ter atenção redobrada e manter seus exames em dia.

Crianças são mais suscetíveis à leucemia.

MITO – O câncer em crianças e adolescentes, de 0 a 19 anos, é considerado raro quando comparado com o câncer em adultos, correspondendo entre 2% e 3% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O diagnóstico precoce é determinante para a evolução da doença.

VERDADE – Quando detectado no início, o câncer chega a ter 80% de chances de cura. Mas, para isso, é preciso ficar atento aos sintomas, que podem ser confundidos com outras doenças.

Leucemia não tem cura.

MITO – Receber o diagnóstico de um câncer nunca é um momento fácil, mas é preciso saber que a leucemia pode ser superada de forma definitiva, sim! Atualmente, todos os tipos dessa doença são tratáveis e, na maioria dos casos, podem ser curados. Porém, para que isso aconteça, é preciso identificar o câncer precocemente e determinar, por meio de exames, qual o tratamento mais adequado.

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade