A importância da nutrição para pacientes com câncer

Compartilhe

É comum o entendimento sobre a relevância da alimentação equilibrada para um paciente em
tratamento contra o câncer. A ingestão de alimentos saudáveis regula os sintomas da doença e
os efeitos colaterais do processo terapêutico. Com a presença de um nutricionista, é possível
fazer esta engrenagem funcionar plenamente, pois é esse profissional que determinará um
plano alimentar para que todas as necessidades nutricionais do paciente oncológico sejam
preservadas.


O indicado é ter o acompanhamento do nutricionista logo após o diagnóstico, mantendo-o
ativo em todas as etapas do tratamento, desde a cirurgia, passando pela quimio e
radioterapia, transplante, imunoterapia, etc. Estudos mostram que um quadro nutricional
adequado permite uma resposta mais positiva às terapias, evitando até mesmo uma síndrome
multifuncional muito comum, presente em 80% dos pacientes com níveis avançados da
doença, denominada caquexia e relacionada ao processo inflamatório sistêmico, tendo como
consequência a redução da massa corpórea.


Assim, alguns processos que envolvem a nutrição dos pacientes são determinantes para a
plena reabilitação. O primeiro é a higiene máxima de todos os produtos ingeridos. A
agressividade das medicações utilizadas pode causar diminuição da imunidade, aumentando a
suscetibilidade a infecções. Alimentos crus também devem ser evitados, como as carnes
malpassadas, peixes e ovos com a gema mole.


No caso de surgimento de inflamações na boca, na faringe e no trato gastrintestinal, a dica é
realizar uma quantidade maior de refeições com porções um pouco reduzidas, não
ultrapassando intervalos de três horas. Refeições que ofereçam menor dificuldade para
mastigar e engolir são as mais recomendadas nesses casos. Importante também evitar
alimentos secos, salgados e ácidos. Nos casos mais graves, preferir alimentos líquidos,
liquidificados, frios, gelados ou em temperatura ambiente.


Os profissionais da área explicam que a alimentação precisa ser uma etapa prazerosa do
tratamento, para ajudar efetivamente na recuperação do organismo. Todos os alimentos têm
benefícios, o importante é o consumo na proporção correta. Por exemplo, sem os carboidratos
o organismo fica sem energia e mais disponível à fadiga, um dos mais relevantes efeitos
colaterais da quimioterapia e da radioterapia. Proteínas também são grandes aliadas, tanto
animais quanto vegetais, como carnes, ovos, leites e grãos. Além das vitaminas e dos minerais,
presentes nas frutas. A ingestão abundante de líquidos auxilia em todo o processo.


É importante salientar que suplementos alimentares podem auxiliar muito aqueles pacientes
incapazes de consumir energia suficiente para manter o peso e o estado nutricional adequado.
No entanto, a suplementação apenas deve ser feita com a orientação de um especialista. O
equilíbrio dos nutrientes ajuda o organismo a se fortalecer e facilita o trajeto em busca da
cura.


Consulte um nutricionista para saber o melhor tipo de alimentação para você.

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade