5 formas de prevenir o câncer colorretal

Compartilhe

O mês de março ganha destaque no calendário de saúde brasileiro com a prevenção e a conscientização sobre o câncer colorretal. Este tipo de tumor é o terceiro mais frequente no mundo, tanto em homens quanto em mulheres, e está intimamente ligado aos hábitos adquiridos ao longo da vida. Por isso, pode ser evitado, na maioria dos casos.

Para auxiliar na diminuição dos índices de incidência da doença e uma maior qualidade de vida da população, foram selecionadas as 5 principais maneiras de evitar o câncer colorretal. São dicas simples e acessíveis para que todos possam manter uma rotina saudável e sem ameaças. Confira:

1. Manter uma alimentação com abundância de frutas e vegetais

Parece óbvio, mas comer frutas e verduras não é um hábito diário unânime. Segundo estudo publicado no Journal of the American Dietetic Association, a ingestão de repolho, couve-flor, brócolis e maçã estão relacionados à diminuição da incidência da doença. Em geral, uma alimentação rica em vegetais, frutas, verduras, legumes e grãos integrais, com baixa ingestão de carne vermelha, embutidos e alimentos processados, está muito associada a um menor risco de desenvolver o câncer.

2. Usar o cálcio como grande aliado

O cálcio é indispensável para a prevenção do câncer colorretal. Isso porque esse mineral, presente no leite e em seus derivados, tem a capacidade de se ligar aos sais biliares e aos ácidos graxos ionizados, reduzindo o efeito dos compostos de proliferação celular da mucosa colônica, que reveste o intestino e é o local de origem deste tipo de câncer.

3. Reforçar a Vitamina D

A Vitamina D, presente em diversos alimentos e ativada na exposição ao sol ou por meio da suplementação, também está associada à redução de riscos ao câncer colorretal. Essa substância é ótima aliada na prevenção da doença, mas precisa ser administrada com cautela, quando adquirida com exposição solar – o adequado é evitar o sol entre as 10h e as 16h.

4. Fazer da atividade física um hábito

Praticar exercícios regularmente reduz a incidência de pólipos intestinais, que podem evoluir para o câncer colorretal. Isso ocorre devido à perda de peso e de gordura abdominal, fatores que são relacionados ao desenvolvimento de neoplasias. Por isso, estar dentro da faixa de peso recomendada é primordial. Para ajudar nesta tarefa, é preciso manter uma baixa ingestão de carboidratos, gorduras e fast-food, principalmente.

5. Atenção ao histórico familiar

Apesar deste tipo de neoplasia ser predominantemente resultado da conduta de vida de cada indivíduo, existe um percentual relevante de 25% dos casos com origem em fatores genéticos hereditários. Por isso, se houver mais de um parente diagnosticado e, principalmente, com menos de 50 anos, há motivo de preocupação. O risco é dobrado quando há incidência em pais, irmãos ou filhos. Nesses casos, é recomendado início da triagem aos 40 anos ou 10 anos antes da idade em que o familiar foi diagnosticado.

O câncer colorretal também é considerado uma doença silenciosa, visto que, muitas vezes, não apresenta sintomas em seu estágio inicial. O ideal é seguir as dicas acima e se manter atento a partir dos 50 anos, com visitas periódicas ao médico e exames de rastreamento, conforme orientação do especialista. A doença tem entre 90% e 95% de chance de cura quando diagnosticado na fase inicial. Cuide-se!

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade