Yoga e meditação podem mudar seus genes

yoga e meditação podem mudar seus genes

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A prática de exercícios físicos que envolvem concentração mental é extremamente saudável e benéfica para a saúde, tanto física quanto mental. Uma nova revisão científica sugere que a yoga e meditação podem mudar seus genes, e eu vou falar um pouco sobre essa nova descoberta!

yoga e meditação podem mudar seus genes

A pesquisa

Ambas as atividades entraram na lista das melhores estratégias para controlar o stress da vida moderna, por suas características que promovem relaxamento. Mas muito mais do que isso, uma pesquisa propõe que os benefícios da yoga e meditação vão um pouco além de relaxar o corpo.

Uma revisão científica britânica indicou que estas atividades têm o poder efetivo de reverter mudanças causadas pelo stress em genes relacionados à saúde e depressão severa. Isso tudo acontece pois são atividades que são capazes de promover o estado de mindfulness, a chamada atenção plena.

O estudo em questão analisou resultado de 18 estudos publicados anteriormente. Apresenta dados sobre os efeitos biológicos da yoga, meditação e outros e outros exercícios de meditação em cerca de 846 pessoas.

 

Menos inflamação e menos estresse

Os autores defendem que os benefícios encontrados nestes exercícios parecem suprimir a expressão dos genes e caminhos que promovem inflamações. Na sociedade de hoje, a resposta inflamatória do corpo quando se torna crônica junto ao quadro de stress, pode prejudicar a saúde física e mental.

Mas a pesquisa descobriu que quem pratica estas atividades regularmente apresenta menos inflamação e uma sensível diminuição na produção das proteínas inflamatórias. A yoga e a meditação podem ajudar para “a reversão da assinatura molecular dos efeitos do estresse crônico”. O que significa um risco reduzido de doenças e condições relacionadas à inflamação.

Diferentes atividades, mas com o mesmo benefício

Ivana Buric, doutoranda da Universidade de Coventry, na Inglaterra, e autora principal da pesquisa, mostrou surpresa ao concluir que tipos diferentes de exercícios tem efeitos semelhantes a nível genético. De acordo com ela:

Existem diferenças entre meditação e yoga, mas todas as atividades, incluindo Tai Chi, exercícios de respiração e Qi Gong, parecem diminuir a atividade dos genes envolvidos na inflamação se praticadas regularmente.

Acredita-se que benefícios parecidos possam ser obtidos através de outras mudanças de estilo de vida como alimentação saudável e exercício físico. Ainda não existem pesquisas que promovam a comparação dos dados referentes a outras atividades físicas.

 

Uma grande descoberta

A autora defende que as atividades que ligam a mente-corpo levam o cérebro a dirigir os processos de DNA ao longo de um caminho o que acaba promovendo a sensação de bem-estar. Ela ressalta que os genes herdados não são estáticos, ou seja, podem ser modificados. E inclusive que a atividade do DNA pode depender de coisas podemos controlar.

O mecanismo é tão poderoso, que mesmo apenas 15 minutos diários de exercícios que promovam a atenção plena, já podem ativar o mecanismo que vai levar à uma melhora na sensação de bem-estar. Escolhendo um estilo de vida saudável todos os dias, é criado um padrão de atividade genética que leva ao estímulo da saúde e favorece a sensação de bem-estar.

 

Dra. Alessandra Morelle

 

Para acessar a fonte original clique no link: Time Health

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade