Veja quais são as principais reações do tratamento contra câncer e como amenizá-las

Share

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

No tratamento contra o câncer, diversas mudanças surgem no dia a dia dos pacientes e efeitos colaterais são comuns nesta jornada, provocados pelo uso periódico das medicações. Cada protocolo utilizado durante o tratamento impacta de diferentes formas no organismo e resulta em distintos efeitos colaterais.

No entanto, a maioria das reações já pode ser tratada e prevenida. “Para todos os efeitos colaterais, existe alguma medida paliativa, mais ou menos efetiva, dependendo da situação”, explica o Dr. Marcos Santos, chefe do serviço de Oncologia do Hospital Universitário de Brasília. O médico ainda reforça a importância do relato do paciente para que a solução mais adequada seja encontrada rapidamente. Com a orientação correta, os métodos terapêuticos são capazes de agir como verdadeiros aliados dos pacientes na luta contra a doença.

Uma das formas mais eficientes de deixar o médico informado com assertividade e o paciente amplamente amparado durante o tratamento é o uso de ferramentas de monitoramento, como o aplicativo Thummi. A plataforma conta com uma tecnologia avançada e inteligente que dá apoio ao tratamento com a disponibilidade de coleta de dados sobre a rotina do paciente e a realização de testes simples, rápidos e eficientes que verificam a necessidade de intervenção médica, a partir dos seus sintomas relatados.

Saiba mais sobre alguns tipos de tratamentos e seus efeitos

A quimioterapia tem o objetivo de eliminar as células cancerígenas que formam o tumor. Os medicamentos utilizados, na maior parte dos casos, não diferenciam as células malignas das células normais, e acabam por ocasionar uma ação sistêmica no organismo, atingindo tanto as células doentes quanto as sadias. O resultado é o aparecimento de efeitos colaterais normais ao tratamento e podem se manifestar tanto física quanto emocionalmente. Alguns mais comuns neste tipo de tratamento são queda de cabelo, ansiedade, náuseas, vômitos, anemia, fadiga e alterações renais e digestivas.

A radioterapia se utiliza de radiações ionizantes para destruir um tumor ou impedir que suas células aumentem. Estas radiações não são visíveis e, durante a aplicação, o paciente não sente nada. A radioterapia pode ser usada em combinação com a quimioterapia ou outros tratamentos. A intensidade dos efeitos depende da dose, da parte do corpo tratada, da extensão da área irradiada, do tipo de radiação e do aparelho utilizado, e da adesão do paciente às orientações dos médicos. Os efeitos indesejáveis mais frequentes são perda de apetite, dificuldade para ingerir alimentos, cansaço e reações na pele.

O que é possível fazer para combater os sintomas

Hoje existem formas de contornar a queda de cabelo, como o uso de touca hipotérmica – um dispositivo capaz de resfriar o couro cabeludo durante a infusão do medicamento. No caso dos enjoos e vômitos, houve um avanço muito grande no desenvolvimento de drogas eficazes para tratar os sintomas. O acompanhamento de um nutricionista também contribui para a redução das reações adversas, por meio de uma dieta mais adequada. Já as feridas na pele, que chegam a atingir cerca de 60% dos pacientes em quimioterapia e até 95% em radioterapia, são minimizadas com produtos livres de corantes, parabenos ou outros componentes potencialmente causadores de câncer e, também, não têm fragrância, já que quem passa por tratamento fica mais sensível a odores.

Em geral, fazer pequenas refeições ao longo do dia, evitar alimentos gordurosas ou frituras, aumentar a ingestão de líquidos e evitá-los durante as refeições, vestir roupas folgadas que evitem a compressão do abdômen e praticar atividade física são algumas das ações que compõem o círculo de combate aos sintomas dos tratamentos contra o câncer.

Mais para explorar

Sign up for our newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade