Por que é necessário acompanhamento médico após o câncer?

Share

O câncer é uma doença que atinge milhares de pessoas em todo o mundo. Apesar de ser um problema bastante grave, hoje em dia é possível garantir ao paciente uma vida muito mais tranquila. De toda forma, é notório que esta doença modifica o estilo de vida de uma pessoa de forma permanente. Após o tratamento, uma nova vida se inicia para o paciente, mais leve e feliz, com certeza, mas com igual responsabilidade e compromissos.

O tratamento do câncer muitas vezes envolve consumo de medicamentos fortes, cirurgias para a retirada de órgãos e outras estruturas e, por isso, é preciso um acompanhamento médico a longo prazo, visando a melhor adaptação do corpo à nova condição. Assim, visitando o médico após o processo de cura, fica mais fácil adotar medidas que ajudam o organismo a se estabilizar. Dietas específicas, regulagem no consumo de remédios, verificações de mudanças ou intolerâncias e indicação de atividades físicas são alguns exemplos de medidas que são passadas no consultório médico.

De forma geral, a maioria dos cânceres apresentam a cura após cinco anos, no entanto o tempo de acompanhamento dos pacientes tem se estendido cada vez mais. Hoje é possível ver pacientes com 10 a 15 anos de cura ainda com necessidade de visitas anuais ao médico, com realização de exames. Especialistas recomendam que pacientes com até 3 anos de fim do tratamento façam consultas oncológicas a cada 3 meses. Alguns tipos mais agressivos de tumores exigem uma frequência menor. De 3 a 5 anos, as revisões são semestrais.

As consultas frequentes com o médico ajudam a evitar a intensidade dos efeitos após o câncer e a garantir uma vida sadia e sem complicações. A recidiva, ou seja, o retorno do câncer é a razão mais forte para seguir com acompanhamento médico. O médico normalmente observa se os indícios cancerígenos ainda são encontrados não só na região tratada, mas em outras partes do corpo. Embora um tratamento em uma fase inicial do câncer seja eficaz na maior parte dos casos, ainda assim não é excluída a hipótese da doença voltar. Dessa forma, com o auxílio médico depois da cura, fica mais fácil de eliminar qualquer complicação.

Para diminuir as chances de recidiva, o protocolo adequado é seguir com visitas periódicas ao oncologista, realização de exames de checagem, alimentação saudável, prática de atividade física, redução da ingestão de álcool, não fumar e manter a saúde mental em dia. Apesar de o corpo estar curado, o organismo precisa ser refortalecido, pois passou por vários processos agressivos. Para quem realiza a quimioterapia ou a radioterapia, é preciso, por exemplo, de três a seis meses para que o organismo possa se fortalecer e voltar a ser como era antes. Essas terapias são agressivas, portanto, todo cuidado é essencial.

Vale lembrar que os prazos para as revisões são gerais, cada paciente deve conversar com o seu médico, o qual indicará a frequência necessária para o acompanhamento ser eficiente de fato.

Mais para explorar

Sign up for our newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade