10 curiosidades sobre o câncer de pele

Share

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O câncer de pele é um dos mais registrados anualmente no Brasil, representa 25% de todos os casos do País. No entanto, esta realidade ainda pouco conhecida entre os brasileiros faz com os índices sejam cada mais elevados, principalmente com a chegada do verão. Por isso, elencamos os principais fatos e curiosidade sobre a doença, para que você fique por dentro e não corra o risco de fazer parte deste grupo.

1 – Câncer de pele não é tudo igual! Este tipo é segmentado em dois grupos: melanomas, com origem nas células produtoras de melanina do corpo, e não melanomas, provenientes das células basais (localizadas na parte inferior da epiderme) e escamosas (que revestem a superfície da pele);

2 – Os carcinomas (não melanomas) costumam manifestar-se como feridas que não cicatrizam. Já os melanomas manifestam-se como sinais, lesões pretas;

3 – Atenção redobrada às características dos seus sinais, siga a regra do ABCDE, que consiste na observação de cinco aspectos diferentes, recomendada por especialistas: Assimetria, Bordas irregulares, Cor variável, Diâmetro maior que 5mm, Evolução de mudanças;

4 – As áreas do corpo que costumam ficar mais expostas ao sol, como rosto, orelhas, tronco (colo), braços e mãos são as mais atingidas. No entanto, o tipo melanoma pode surgir também em áreas que ficam cobertas, tais como dorso (costas) e pernas. Fique atento!

5 – O câncer de pele mais comum é o não melanoma, que é responsável por 95% dos casos da doença e tem grandes chances de cura quando diagnosticado e tratado precocemente;

6 – Algumas pessoas têm menor suscetibilidade ao câncer de pele! Negros possuem menos chances de desenvolver a doença. Isso porque a melanina, presente em grande quantidade, bloqueia os raios ultravioletas. Crianças também têm menor probabilidade de adquirir a doença;

7 – Fumar aumenta o risco de ter câncer de pele, principalmente para o tipo o carcinoma de células escamosas. Se comparada a uma pessoa não fumante, o risco é dobrado, e para mulheres, estudos mostram que os riscos podem chegar a três vezes mais;

8 – Pele bronzeada não é necessariamente sinônimo de saúde. A exposição excessiva aos raios UV sem proteção ao sol pode causar câncer de pele, inclusive quando os raios são provenientes de bronzeamento artificial;

9 – Não é apenas no verão ou na praia que o filtro solar e os óculos escuros são recomendados. Eles fazem uma barreira de proteção contra os raios UV, que estão presentes mesmo em dias nublados, nos dias frios de inverno, ou mesmo dentro de casa com as luzes incandescentes. Os raios UVA, incidem o ano inteiro e podem causar ainda mais estragos à pele;

10 – Sim, o risco de mortalidade por câncer de pele é baixo, mas é bastante comum que um melanoma se espalhe e atinja outros órgãos com o tempo, podendo ser fatal. Ainda assim, a incidência de casos é altíssima no Brasil e inspira cuidados!

Mais para explorar

Sign up for our newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade